24/02/2022 às 11h07min - Atualizada em 28/02/2022 às 12h07min

Pouca grana para tirar seu projeto do papel? Ursula Monteiro dá dicas de como fazer filmes de baixo orçamento e ter sucesso

Criar uma história original e ter uma estratégia de marketing eficiente estão entre as dicas da cineasta que acabou de lançar duas produções independentes

SALA DA NOTÍCIA Digital Imprensa
 

Quando pensamos na produção de um filme, logo imaginamos grandes números investidos nas gravações e divulgações no estilo Hollywood. Mas nem sempre é assim, pensando nisso, a atriz, roteirista e diretora, Ursula Monteiro- que acabou de gravar duas produções independentes, o curta-metragem “Val” e a minissérie “Nevermind”- separou algumas dicas valiosas para quem deseja tirar o projeto do papel e ter sucesso, mesmo com baixo orçamento.

Crie uma história única e original 

Uma das produções que marcaram a história de Hollywood com baixo orçamento foi “A Bruxa de Blair”. O filme tinha um orçamento mínimo e ganhou praticamente mil vezes mais do que o preço que custou. Sem usar estrelas de cinema apenas com uma história nunca vista antes.  A Bruxa de Blair conta a história de alguns estudantes de cinema que foram documentar no meio da floresta e desvendar o mistério da lenda da Bruxa de Blair. As câmeras usadas nas filmagens tem uma qualidade ruim, o que faz sentido para o contexto da história contada. E que ajuda no orçamento mínimo investido. 

 

Tenha uma estratégia de marketing criativa e use a internet a seu favor

Ainda sobre a “Bruxa de Blair”, a estratégia de marketing começa com a criação de um site onde eles colocaram sobre a história do filme, contando a biografia dos personagens como se fossem de verdade. Eles colocaram que eles estavam desaparecidos, e possivelmente mortos. Soltaram fake news dizendo que anos depois foi encontrada a câmera no meio da floresta com as filmagens feitas desses estudantes que estavam desaparecidos há anos. Isso despertou a curiosidade de todos para saber se o filme era mesmo real ou ficção. Nem todos tinham acesso à Internet em 1999, quando o filme foi lançado. Porém as pessoas que tinham acesso e entravam na sala da AOL, ficaram sabendo sobre o site. Até mesmo no IMDB tinha o retrato desses atores que fizeram parte do filme e dizia em baixo “Desaparecido.”  O site de “A Bruxa de Blair” fez tanto sucesso que fez as pessoas quererem assistir ao filme. “A Bruxa de Blair” custou aproximadamente 25,000 dólares. E ganhou mais de 250 milhões de dólares. Foi a primeira vez que Hollywood entendeu a importância da internet para divulgar um filme.

 

Tenha um objetivo claro - retorno financeiro é mesmo o objetivo nesse caso?

A primeira pergunta que todo filmmaker tem que fazer para si mesmo  é: Qual a sua intenção com esse filme? Aonde você quer chegar? 

“Quando eu gravei o meu primeiro curta, o meu retorno financeiro foi zero, porém eu não fiz o filme pensando em ter algum retorno financeiro.  Eu estava em busca de um retorno social. O meu intuito era conhecer pessoas da indústria e apresentar o meu trabalho. Fiz vários contatos da indústria de filmes, participei de vários festivais, e ainda conheci pessoas que são possíveis investidores para os meus próximos projetos. Posso dizer que a minha satisfação com o resultado do filme foi extremamente satisfatória”, explica Ursula. 

 

Comece aos poucos e aprenda com seus erros

Comece sempre produzindo um curta, aprenda com os seus erros e continue fazendo os seus próximos filmes até chegar o momento em que você esteja pronto para escrever e dirigir um filme de longa metragem. Um filme de longa metragem custa cinco vezes mais que um filme de curta metragem. “Uma coisa que aprendi nesses festivais que percorri, foi que eu estava no caminho certo.. Por isso é muito importante aprender com os seus erros até você estar preparado para um longa-metragem. Como Robert Rodriguez, diretor de cinema dizia: uma carreira de diretor é “Failing with enthusiasm” versão em português “Falhar com entusiasmo.", completa Úrsula.

 

Sobre Ursula Monteiro

Nascida em Taubaté, no interior de São Paulo, Ursula teve desde sempre como paixões principais o cinema, o teatro e a atuação. Aos 8 anos, iniciou as aulas de teatro e começou a se apresentar em peças matinês no Teatro Metrópolis em montagens como “Sítio do Picapau Amarelo”. Aos 16 anos, a artista deixou o interior para estudar, também atuação, na renomada escola Macunaíma, em São Paulo. 

Aos 18 anos, o espírito de aventura, que já tomava conta, falou mais alto e a levou para Nova Iorque, local onde reside atualmente. Lá iniciou os estudos de atuação para cinema na New York Film Academy e, logo depois, se matriculou em um curso de longa duração na Atlantic Acting School, onde ficam alguns estúdios da NYU TISCH School of the Arts. Dentre os inúmeros trabalhos no teatro, cinema e televisão, destacam-se três participações em séries famosas no mundo inteiro: “Madam Secretary da CBS, The Deuce da HBO e Mr. Robot da USA Network. 

Agora, Ursula se dedica a dois projetos autorais, os primeiros como roteirista e diretora: o curta-metragem Val e a websérie Never Mind. “Val” já ganhou os holofotes e tem se destacado em festivais internacionais. Selecionado em nove, semifinalista em dois e finalista em outros dois a produção deu a Ursula os prêmios de “melhor direção” e “melhor atriz debutante”, no New York International Film Awards e Oniros Film Awards.


 
Link
Notícias Relacionadas »