27/10/2021 às 17h19min - Atualizada em 27/10/2021 às 18h14min

Receita de máquinas e equipamentos tem queda de 4,8%

Segundo os dados da Abimaq, as exportações variaram negativamente em 0,2% ante agosto, mas aumentaram 46,9% com relação a setembro de 2020 e 31,1% no acumulado do ano.

Agência Brasil
https://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2021-10/receita-de-maquinas-e-equipamentos-tem-queda-de-48

A receita líquida do setor de máquinas e equipamentos registrou queda de 4,8% em setembro, na comparação com agosto, segundo balanço da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), divulgado hoje (27), em São Paulo.



A receita líquida interna, ou seja, receita de vendas exclusivamente realizadas no mercado doméstico, também teve recuo, de 6,18% na comparação com agosto. Já os índices de receita líquida total e receita líquida interna cresceram em setembro deste ano na comparação com setembro do ano passado 9,1% e 8,5% respectivamente. No acumulado do ano, os percentuais elevaram 29,5% e 37%.



Segundo os dados, as exportações variaram negativamente em 0,2% ante agosto, mas aumentaram 46,9% com relação a setembro de 2020 e 31,1% no acumulado do ano.



No mês, o melhor desempenho na exportação foi do setor de máquinas para logística e construção civil (26,9%). Houve redução do comércio no mercado externo nos setores de infraestrutura e indústria de base (-40,2%) e máquinas de petróleo e energia renovável (-39,4%).



No acumulado do ano o desempenho em geral foi positivo, com o setor de máquinas para logística e construção civil liderando (59,9%), seguido de máquinas para agricultura (35,9%) e máquinas para indústria de transformação (34,8%). O único segmento com queda no acumulado do ano foi o de máquinas de petróleo e energia renovável (-39,4%).



No ano, o recorte por destino das exportações mostrou continuidade da recuperação das vendas de máquinas para países da América Latina (alta de 53,7%) e China continuando a registrar expansão nas aquisições de máquinas e equipamentos brasileiros (alta de 501,2%).



Os Estados Unidos, principal destino das exportações de máquinas e equipamentos, apresentaram incremento de 10,9% nas aquisições de máquinas nacionais. As vendas para os países da zona do euro cresceram 15,2%.



Importações



As importações tiveram aumento de 11,5% na comparação com agosto. No acumulado do ano, o crescimento foi de 54,7%. Segundo a Abimaq, neste crescimento verificado no mês de setembro os números interromperam três quedas consecutivas, elevando o resultado acumulado no ano para crescimento de 22% ante 18,5% em agosto de 2021.



Em setembro, as importações de máquinas para petróleo e energia renovável cresceram 32,3%, vindo, a seguir, componentes para a indústria de bens de capital (22,4%) e infraestrutura e indústria de base (19,8%). No acumulado do ano também houve aumento nas importações de máquinas para petróleo e energia renovável (81,8%), máquinas para logística e construção civil (58,6%) e componentes para a indústria de bens de capital (33,1%).



Emprego



O balanço da Abimaq revelou ainda que em setembro de 2021 houve queda de 0,5% no total de pessoas ocupadas, levando a indústria de máquinas e equipamentos a encerrar o período com 363,717 mil pessoas empregadas diretamente. Houve redução no número de pessoas dos setores fabricantes de máquinas para bens de consumo, componentes e agrícolas. Em relação ao último mês de 2020, o número de pessoas empregadas cresceu 11,8%.




Fonte: https://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2021-10/receita-de-maquinas-e-equipamentos-tem-queda-de-48


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://sandboxwj.cmswebsg.com.br/.